• Home/
  • Assistência ao equilíbrio

Assistência ao equilíbrio

Não só vendemos, como também desenvolvemos, fabricamos e implementamos máquinas de equilibrar numa variedade de indústrias e sectores. Com base em muitos anos de experiência, podemos afirmar com confiança que 20% dos clientes escolhem uma máquina de equilibragem que não é adequada para eles e cerca de 50% escolhem uma máquina que não é a melhor opção.

1. CONTACTAR UM ESPECIALISTA

Se não sabe como escolher uma máquina de equilibrar para o seu serviço, contacte os especialistas – aqueles que fazem isto profissionalmente, fale-lhes da sua necessidade e eles ajudarão. O fabricante tem, sem dúvida, mais experiência, uma visão mais ampla da resolução destes problemas e já realizou frequentemente projectos deste tipo. Não se “auto-medique” – é um processo longo, dispendioso e muitas vezes infrutífero. A máquina de equilibrar necessária pode ser comprada rapidamente e com sucesso, se souber no que se deve concentrar.

2. QUE PEÇAS E QUANTAS SÃO

Determine o tipo e a quantidade de peças por turno, por mês, por ano… Se precisar de equilibrar algo em grandes quantidades, por exemplo, 10.000 peças por mês, irá provavelmente precisar de uma máquina especial (ou de uma máquina universal com uma configuração especial).

3. UTILIZAR SOLUÇÕES PRONTAS A UTILIZAR

Se souber o tipo de peça, pode tentar descobrir se uma máquina universal é adequada para ela ou não.

Por outro lado, se estivermos a falar de um eixo cardan ou de um rotor de um turbocompressor automóvel ou de um volante de dupla massa, então tudo é mais fácil – existem modelos que são especialmente afiados para estes produtos e será fácil fazer uma escolha.

Por último, se a sua peça for: rotor de motor elétrico, alternador, cambota, ventilador, bomba – muito provavelmente pode escolher entre máquinas universais.

4. TIPO DE MÁQUINA

Quando se escolhe uma máquina de equilibragem universal, a primeira coisa a escolher é uma máquina pré-ressonante ou uma máquina ressonante com rolos de auto-alinhamento.

A máquina pré-ressonante é preferida nos serviços de reparação porque tem suportes mais estreitos e é mais versátil. Esta máquina é barata de comprar e de utilizar. Mas os rolos são estreitos, têm uma forma esférica e deixam marcas nos anéis de suporte (rolamento). Se estivermos a falar dos moentes do rotor, nos quais serão depois colocados os rolamentos, isso não importa. Mas se o rotor rodar em rolamentos lisos, então é preferível uma máquina ressonante com rolos autocompensadores.

Uma máquina de ressonância com rolos autocompensadores é melhor utilizada para peças pesadas com mais de 3 toneladas e para peças que rodam em rolamentos lisos, porque os rolos autocompensadores danificam menos os moentes. Devido à complexidade da conceção, estas máquinas são mais caras.

É de salientar que a maior parte dos problemas de engenharia podem ser resolvidos por ambos os tipos de máquinas e, se recorrer a uma empresa que apenas fabrica um destes tipos, a solução que lhe oferecerão poderá não ser a melhor. Porque eles vão oferecer o que têm.

5. GAMA DE PESOS

Observe a gama de peso dos rotores equilibrados nesta máquina e a sua relação com a gama de peso das suas peças.

Se as suas peças pesam 20-80 kg, pode equilibrá-las em máquinas com uma gama de massas de 1-100 kg, 3-300 kg, 5-500 kg e 15-1500 kg. É bastante óbvio que uma máquina de 1-100 kg é a melhor.

Mas, no equilíbrio das máquinas, pode haver excepções. Por exemplo, se se tratar de um rotor de um ventilador centrífugo com um diâmetro de 1000 mm e um peso de 80 kg, será preferível a máquina 3 – 300 ou 5 – 500. Um ventilador deste tipo pode ter um desequilíbrio dezenas de vezes superior ao permitido. Além disso, tem resistência aerodinâmica, que deve ser tida em conta ao selecionar a potência de acionamento. É de notar que a roda do ventilador é normalmente equilibrada num mandril de processamento, cujo peso será adicionado ao peso do produto.

6. DIMENSÕES DAS PEÇAS

Todas as peças têm de estar em pé na máquina, por isso, considere o seu diâmetro máximo e o comprimento entre os moentes das chumaceiras.

7. SELECCIONAR O TIPO DE UNIDADE

Existem nos tipos axial, de correia e combinado.

O tipo de correia é versátil, mas requer superfícies de acionamento cilíndricas, pelo que é preferido para peças do tipo armadura de motor.

O axial é menos versátil, mas mais adequado para peças com características de conceção que não permitem a utilização de uma correia (conjuntos de rodas), com partes móveis, como debulhadoras, e ventiladores axiais, turbinas.

8. POTÊNCIA

Todas as máquinas modernas têm um acionamento assíncrono controlado por frequência e um conversor de frequência (mas há excepções). Recomendamos que escolha a máquina de equilibrar com um motor mais potente, porque o tempo de aceleração e desaceleração será proporcionalmente mais curto, o que aumenta a produtividade. Ao mesmo tempo, a peça rodará menos nos rolos e, por conseguinte, os moentes do rotor ficarão menos danificados.

9. SISTEMA DE EQUILÍBRIO

Existem dois tipos: Os baseados em PC e os baseados em microprocessador.

A procura de sistemas modernos baseados em PC não é normalmente justificada. Antes de comprar um sistema baseado em PC, decida quem o vai utilizar. Se essa pessoa não tiver um computador em casa, pode haver problemas com a implementação dessa máquina. No entanto, esses sistemas têm funções de programação adicionais necessárias para equilibrar determinados rotores. Pense se precisa deles e se vale a pena o custo adicional.

A nossa experiência mostra que os sistemas baseados em microprocessadores são mais fiáveis, mais fáceis de aprender, menos dispendiosos e geralmente preferíveis para a maioria das aplicações. Os nossos sistemas de microprocessadores, fabricados há 18 anos, ainda funcionam. Os sistemas de balanceamento de computadores produzidos há 7-8 anos têm uma melhor taxa de reparação do que os sistemas de microprocessadores produzidos há 15 anos.

Preste atenção aos sistemas que o fabricante está a instalar e à sua gama de produtos. Ele dar-lhe-á um sistema de equilíbrio que o é, e esse sistema pode não ser o ideal para si. Preste também atenção ao facto de ele próprio os fabricar. Caso contrário, poderá haver problemas com a garantia e o serviço subsequentes.

10. PRECISÃO DA MÁQUINA

Atualmente, está na moda olhar para os números e os fabricantes especificam frequentemente precisões de 0,1 gmm/kg ou mesmo 0,05 gmm/kg. No entanto, a maioria das peças das máquinas são equilibradas a 1 – 10gmm/kg ou 10 – 30gmm/kg. Decida se precisa de uma precisão excessiva. Se estiver a fabricar giroscópios ou fusos eléctricos, sim. Em todos os outros casos, é suficiente uma precisão da máquina de 0,4 gmm/kg. E os números 0,1 e 0,05 são apenas um truque de marketing. Por isso, não é necessário escolher a máquina de equilibragem de maior precisão.

Nenhum fabricante menciona o desequilíbrio máximo que as suas máquinas podem medir. Nas nossas condições, este parâmetro é muitas vezes mais importante, porque frequentemente peças tortas ou danificadas com enormes desequilíbrios iniciais entram para equilibrar.

11. CONSULTA

Mesmo que saiba tudo e tenha escolhido uma máquina de equilibrar sozinha, não deixe de perguntar aos especialistas se a escolha foi correcta. Poupar-lhe-ão tempo e dinheiro. E quase todos os fabricantes dão conselhos gratuitos quando se compra uma máquina. O mais importante é que o fabricante tenha algo para lhe oferecer.

Se precisar de conselhos, contacte-nos!

Juntamente com a máquina, receberá tecnologia de equilíbrio, formação em técnicas de trabalho, bem como apoio técnico durante toda a vida útil do equipamento.


    Obter um orçamento


    Deixe um pedido, o nosso gestor entrará em contacto consigo para esclarecer os detalhes para um orçamento comercial.